Português

Exemplos de modelo de currículo de tradutor

Marina Borges / 4 de julho de 2021
imagem de uma mão escrevendo à lápis em um caderno em branco com raspas de lápis apontado

Sem saber por onde começar? Quebrando a cabeça para redigir um modelo de currículo de tradutor? Não sabe que tipo de informação incluir? Calma, talvez eu possa ajudar.

Não existe um único modelo de currículo de tradução

Eu sempre digo que não existe um modelo fechado de currículo. Tradução é uma área muito diversa, com inúmeras especialidades, então o ideal é você ter um esqueleto de currículo. Essa estrutura básica precisa conter algumas informações como seu nome, par de idiomas, informações de contato (um e-mail e um celular bastam) e formação.

Se você não tiver formação específica em tradução, não se preocupe. Não somos uma profissão regulamentada que exige formação específica. Grandes tradutores são engenheiros, dentistas, médicos, advogados – enfim, têm outra formação completamente diferente. No entanto, é claro que seu currículo vai parecer bem mais interessante para um contratante se você tiver cursos livres de formação na área, por exemplo, mencione todos esses também. Já dei algumas dicas aqui sobre bons cursos de tradução.

Cada vaga pede um currículo

Vou dar o meu exemplo pessoal. Eu ofereço serviços de tradução, revisão e legendagem. Eu tenho um currículo para cada uma dessas áreas. Na minha opinião, um CV não precisa ter mais que uma página – na era dos currículos visuais, podemos resumir muita informação em um lugar só. Então em vez de listar tudo que já traduzi e legendei em várias páginas, trabalho com foco.

No CV de tradutora, por exemplo, coloco as informações básicas que já mencionei, as agências/clientes para quem já trabalhei (e respectivos períodos), minha produção diária de número de palavras e duas referências. Indicação é algo importante no nosso ramo, não se esqueça do networking constante.

Faço o mesmo no CV de revisão, mas destacando trabalhos relacionados a essa área, não necessariamente às de tradução e legendagem. Outra coisa que sempre coloco é uma lista dos programas que domino, esqueci de mencionar. Mas no CV de revisão não preciso mencionar meus conhecimentos de Subtitle Edit (um programa de legendagem), tá entendendo como funciona?

Erros comuns

Não é necessário colocar seu endereço físico, sua formação do ensino médio nem seu CPF – acho até prejudicial, demonstra sua falta de experiência. Foto eu acho que vai de cada um, pessoalmente nunca usei, mas vai que o modelo que você escolher no Canva pede, né? É lá onde você pode confeccionar seu CV visual, aliás.

Meu conselho é: use e abuse dos infográficos para destacar em formato gráfico informações como CATs que você domina, idiomas e contextos traduzidos. Em vez de um entediante “nível avançado de espanhol”, coloca um setor “Idiomas”, lista “espanhol” e preenche quatro bolinhas de cinco, por exemplo.

Mas e a falta do que preencher?

Já falamos disso aqui, né, veja aqui todas as dicas. Ainda assim, se não for o suficiente, pensa comigo: você é um profissional da língua, tenho certeza que você escreve bem. Então, venda seu peixe. Demonstre sua vontade de aprender. Sua disponibilidade para testes e treinamentos. Sua criatividade para transcrições, enfim, use sua imaginação. Todo mundo começou de algum lugar, não se preocupe, o importante é se dedicar e correr atrás do que você busca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud