Eu sou tradutora

É sempre do mesmo jeito: você está batendo papo com alguém novo, vem a pergunta:

– E aí, você trabalha com que?
– Sou tradutora.

Opção 1: “Ah, você traduz livros”?

111434071_1GG

Tradução literária é um dos muitos nichos da tradução. Em geral, são tradutores freelancer, que trabalham em casa, contratados por obra e por uma editora, daí o nome tradução editorial. Esses profissionais costumam cobrar por lauda, tem prazos de entregas parciais e, até onde sei, não veem muitas vantagens em usar CAT Tools (programas de memória de tradução). A tradução literária exige do tradutor um amplo vocabulário, linguagem rebuscada e cultura geral ampla – imagina traduzir as gírias de um livro escrito para adolescentes, por exemplo? Uma boa referência online sobre esse campo é o blog Ponte de Letras, organizado por quatro tradutores feras no assunto. Ano passado a ABRATES fez uma campanha bem bacana sobre a importância de se colocar o nome do tradutor nos livros – se você reparar, isso não é uma prática muito comum.

Quer ser tradutor literário? Leia bastante, esteja familiarizado com o contexto do mercado de editoras e se prepare com cursos especializados. A gradução da Universidade de Brasília (UnB) oferece duas cadeiras sobre tradução literária: de inglês para português e o contrário. Quando eu fiz essa matéria, tive que traduzir um conto cujo personagem se chamava Aristídes, sendo que a esposa dele o chamava de Tide. Estava passando pro inglês e me incomodando com esse apelido que a mulher usava com ele, resolvi que ela o chamaria de “Honey” em inglês. Sorte a minha. Se eu mantivesse o Tide, em inglês a mulher dele o chamaria de Maré. “Maré, meu benzinho”, já pensou?

 

Opção 2: “Você faz legendas de filmes?”

tumblr_ngnl2hv1371taqj7no1_500Tradução de áudio-visual é mais uma opção do nosso meio. Esse profissional tem que ter boa habilidade de escuta, porque nem sempre recebe a transcrição ou script do áudio. Tem, também, que trabalhar com a restrição do espaço da legenda, pois o olho humano só é capaz de ler um determinado número de caracteres por segundo. Muita gente atualmente faz legendas por hobby para os seriados que acompanha e disponibiliza na internet, mas tradutor/legendador também é uma profissão de verdade. Você pode trabalhar em casa ou como funcionário de uma empresa especializada. Também acredito que o pessoal de áudio-visual não faça uso de CAT Tools, pois em geral trabalham com um programa específico de legendagem, onde é possível traduzir e demarcar os pontos de entrada e saída da legenda da tela (outra função desse tipo de tradutor). Há cursos específicos para esse ramo, até mesmo online. A Dispositiva é uma das principais empresas do ramo e está sempre anunciando cursos e oportunidades.

 

Opção 3: “Você traduz o Oscar?” ou a variante “Você quer trabalhar na ONU?”

1386947567_383632_1386948441_noticia_normalSobre esse ramo, já falamos bastante aqui no blog. Os tradutores de língua falada são chamados de intérpretes. Intérpretes falam, tradutores escrevem. Daí a necessidade de concentração, talento para oratória, boa escuta e organização multitarefas desse profissional. Os intérpretes costumam trabalhar traduzindo palestras, conferências e até pequenas reuniões. Muitos trabalham com TV, como na transmissão de eventos como o Oscar, anúncio do novo papa, posse de presidentes, lutas de UFC. Outros trabalham em órgãos que demandam bastante trabalho de interpretação, como as Nações Unidas, o Parlamento Europeu, a Organização dos Estados Americanos e muitos outros. Outro tipo de intérprete é o de língua de sinais, que estão cada vez mais presentes em importantes eventos hoje em dia. Em geral os intérpretes são autônomos, tem empresa própria e conciliam suas atividades com a de tradutor.

Você gosta de vídeo-games? Já percebeu que quase sempre existem versões em português? Adivinha quem traduz. Sim, localização de jogos é mais um nicho da tradução. É um ramo relativamente recente, que vem crescendo bastante no mercado. Há muitos cursos especializados disponíveis e, novamente, o tradutor pode trabalhar em casa ou em uma empresa de jogos, in house

Tradução técnica é outro ramo bem popular. Muita gente se especializa em tradução jurídica, tradução médica, tradução de metalurgia. Vai ao seu gosto. Esse tipo de profissional, sim, usa e abusa das CAT Tools, porque acaba pegando termos repetitivos, cuja tradução esse tipo de programa armazena. Outra grande funcionalidade utilizada por tradutores que costumam traduzir um mesmo tipo de textos é a facilidade que esses programas oferecem para produção de glossários. 

E finalmente, existem os tradutores juramentados ou tradutores públicos. São um tipo de profissional específico, que foram aprovados em concurso público e tem vínculo com a junta comercial de cada estado. O tradutor juramentado é o único que oferece traduções com fé pública, ou seja, que são reconhecidas como autênticas em juízo. Em geral são contratados para a tradução de documentos como históricos escolares, diplomas, certidões, contratos, procurações e tudo o mais necessário. Cobram segundo preço tabelado de cada junta e entregam suas traduções em papel timbrado específico.

Para todos os tipos de tradutores, um feliz 30 de setembro, dia de São Jerônimo, aquele santo homem que traduziu a Bíblia e fez a nossa profissão bem famosa.

 

Comments
5 Responses to “Eu sou tradutora”
  1. JOAO EVANGELISTA VIEIRA AMORIM disse:

    Marina, bom dia.
    Sou estudante de Licenciatura em Letras-inglês pela Universidade Federal do Amapá e pretendo trabalhar com tradução de textos e simultânea.
    Fiz até o nível 1 de Avançado Yázigi e considero modero o nível de língua inglesa.
    Pretendo fazer Mestrado na UnB em Tradução. Será que há algum entrave por ser Licenciatura?
    Por favor.

  2. Marina Borges disse:

    Olá João,

    Desculpe a demora da minha resposta, ando ausente do blog. Acho que não vai ser um empecilho, não, boa sorte na seleção!

  3. caio disse:

    Meu nome é Caio.
    Trabalho como professor online de inglês pela Universidade do Inglês.
    Tenho formação em aprendizagem acelerada e no meu trabalho tive a oportunidade de participar de projetos envolvendo tradução e legendagem de um pastor norte-americano chamado Joel Osteen. Também fiz trabalho de tradução e legendagem como um hobby.
    Hoje tenho muito vontade de me tornar um profissional mais qualificado nesse ramo e tenho mandado mensagens para agências, tradutores e empresas do ramo pedindo por algumas orientações e informações sobre as qualidades que vocês presam nesses profissionais e também a parte técnica como cursos e certificados. Todo esse trabalho que eu fiz foi de forma autodidata e sem nenhum curso regular, eu aprendi a utilizar as ferramentas de tradução e legendagem sozinho.
    Você acha que isso é suficiente apra esse mercado ou você vê a necessidade de cursos técnicos e certificações?
    Obrigado.

  4. Marina Borges disse:

    Oi Caio, pela minha experiência, cursos e certificados abrem nossos olhos para novas soluções de tradução, dicas de certas palavras e expressões e perspectivas de mercado. Acredite, as instituições ficam atentas a tudo que se passa no mercado porque muitas vezes os professores fazem parte dele também. Acho necessário nesse sentido, pois vai ser algo a mais no seu currículo que só tem a aumentar com a sua facilidade para aprendizado.

    Obrigada pela visita!

  5. Alberto disse:

    Olá Marina,

    Tenho um livro publicado em Português. Estou considerando a possibilidade de traduzi-lo para Inglês. Você gostaria de fazer um orçamento? Aguardo seu contato.

    Alberto

Leave A Comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud