Português

Dicas de home office para tradutores

Marina Borges / 23 de fevereiro de 2015

Esse negócio de home office parece muito glamouroso no Pinterest, eu sei, mas olha, na vida real, é bem complicado. Mas como já trabalho em casa há quase dois anos, acho que consigo dar algumas dicas de home office para tradutores.

HO1
Vide meu pequeno caos

Ter um cantinho só seu para trabalhar em casa é essencial, é o primeiro passo para começar a fazer isso dar certo. Cantinho esse bem organizado porque, acredite, é tanto detalhe para lembrar que é preciso estar bastante atento. Eu sei que na foto não parece, mas tem uma organização aí. Repare só nos itens essenciais:

Uma boa mesa/ escrivaninha

Essa minha eu comprei no site Meu Móvel de Madeira, é esse modelo aqui, super fácil de montar. Comporta confortavelmente meu laptop, a TV/monitor, o teclado, a luminária, o porta-lápis e tudo mais necessário para o dia a dia. Esse modelo específico tem prateleiras nas laterais (na verdade é um tampo sobre dois cavaletes), que eu estou aproveitando muito bem com livros e apetrechos mil.

Apoio para os pés

Pensa comigo: você trabalha o dia inteiro sentado. Portanto, é primordial ter apoio para que suas pernas fiquem confortavelmente a 90 graus do chão. Não precisa ser nada sofisticado – olha ali no meu caso, um Longman velho que começou a cair aos pedaços e um outro livro grosso. Aliás, faço uso de dicionários que me arrependi de comprar usando de apoio de monitor também, repare. Não vou nem mencionar minha linda cadeira porque já escrevi sobre ela aqui, você bem se lembra.

Estante

Esse é um toque completamente pessoal, mas acho válido. Justamente porque nós tradutores trabalhamos sentados boa parte do dia, me forço a me levantar para buscar o dicionário que preciso na estante. Nem coloco nos cavaletes laterais, que eu posso acessar sem sair do lugar. Neles só tem livros para leitura. Veja a minha estante em detalhe, com tudo que preciso (ok, a xícara de pavão, nem tanto):

HO4

Mural de recados

Tenho três: um de cortiça, outro para escrever as coisas importantes do dia e um sobre a mesa, para lembretes de tradução ou macetes. Não sei você, mas funciono muito melhor visualizando informações fora da tela – a tabela da reforma ortográfica, por exemplo:

HO5

Já aqui perto do monitor ficam minhas “colas”:

HO6

Calendários

Esse ano adotei um de parede, onde posso escrever à vontade o que preciso: quando emitir a fatura, consultas e compromissos etc. Procuro sempre atualizar o Google Calendar também. A vida moderna é corrida mas a gente não pode reclamar das ferramentas disponíveis, né? Mas como já disse, ainda funciono melhor com papel. Na primeira foto, você pode ver que tasquei o calendário de parede bem na minha cara, embaixo do relógio, para ficar de olho em tudo que vem por aí.

Planilhas

Uso para tudo. Tenho uma dos trabalhos de tradução, outra dos de interpretação, uma de controle de emissão de nota e por aí vai. Também uma de – acredite! – tarifas que as agências e clientes me pagam, com detalhes como “pagamento em 60 dias”.

Como eu trabalho para muitas agências, é muita coisa para lembrar. Mais fácil guardar tudo bonitinho em um Excel e só acessar quando preciso. Sem contar que funciona como um registro das atividades – ali você vê em que mês faturou mais, sua produção média de palavras, com quais contextos trabalhou mais etc.

Organizadores

Não sei se sou a única, mas gosto de revisar uma tradução depois de pronta da seguinte maneira. Imprimo o texto em espaçamento de 1,5, para ter como fazer notas, e vou relendo tudo na língua-alvo, para ver se o texto está fluindo. Faço isso em especial com versões, para ver se não escrevi nada muito tabajara. Anoto possíveis correções no papel para depois então corrigir no computador.

Depois ou uso o verso para imprimir outra revisão ou guardo no maravilhoso arquivo organizador disponível aqui. Mas aconselho a comprar na loja física – comprei no site e só tive problemas. É nesse arquivo onde também guardo, por exemplo, manuais de equipamentos que comprei, os famosos contratos de confidencialidade das agências e clientes e diversos outros documentos que necessitamos ter impressos.

Um exemplo bem prático: todos os Guias de Estilo que recebo de agências (muito bem, agências, vocês estão fazendo isso certo), imprimo e consulto de acordo com o documento que estou fazendo. Às vezes consulto até mesmo quando não é documento deles, porque esses guias têm tantas dicas legais que aproveito mesmo. Se eu tivesse mais espaço, investiria em um gaveteiro ou arquivo, mas esse organizador está cumprindo bem seu papel.

Decoração pessoal

Faça seu cantinho ter a sua cara. Deixe-o aconchegante. Você vai ver como isso vai te ajudar a trabalhar. Afinal de contas, não ha nada mais reconfortante do que trabalhar no seu lugar personalizado, do jeitinho que você gosta, com tudo que te faz feliz pertinho de você.

 

1 thought on “Dicas de home office para tradutores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud