Português

Como ser um bom cliente (de tradução)

Marina Borges / 12 de setembro de 2014

Escrevi esse post ano passado sobre como ser um bom cliente de interpretação. Ultimamente, devido aos pedidos esdrúxulos que venho recebendo, me deu vontade de instruir o pessoal da tradução também.

Vamos lá?

1. Entrar em contato comigo é fácil: tenho site, Twitter, Facebook, todos com telefone e email.

2. O ideal é me perguntar sobre minha disponibilidade, mas claro que isso não é regra geral. Caso esteja ocupada naquele momento, vou te encaminhar para um profissional de qualidade e comprometimento igualáveis.

3. No contato inicial também é de bom tom você me fornecer as seguintes informações: número de palavras do seu texto, par de idiomas, formato do arquivo. Já adianto que traduções para um idioma estrangeiro (que nós chamamos de versão) são mais caras. Por n motivos, mas basicamente porque minha língua materna é o português.

4. Tradutores em geral trabalham com software de tradução. Não, não vou jogar seu texto no Google Translator e te entregar. Esses softwares armazenam o texto para caso, no futuro, de você ou qualquer outra pessoa me pedir uma tradução de um texto parecido, o programa me falar “Ih, Marina, olha, em 2011 você traduziu essa palavra assim“. Não, meu programa ainda não fala (fica a dica, desenvolvedores de CAT tools). E não, eu não vou divulgar seu texto para ninguém, levo confidencialidade muito a sério, não se preocupe.

5. Esses programas também me ajudam a te entregar o seu texto na outra língua no mesmo formato do seu texto original. Como eu não sou diagramadora, me ajuda bastante a não bagunçar seus slides de PowerPoint ou suas planilhas de Excel, sabe? Também é possível tornar PDFs editáveis – dependendo do mesmo, né? Peço encarecidamente que, ao escanear um documento, deixe ele bem visível para o meu programa reconhecer sem problemas.

6. Está com pressa? Vou te cobrar uma taxa de urgência. Sim, eu consigo fazer o trabalho no prazo urgente que você precisa, mas vou gastar bastante fosfato para isso. Cobro um adicional pelo esforço, ora. Nada mais justo.

7. Recebeu sua tradução? Está tudo bonito? Ótimo, aqui está a cobrança. Qualquer coisa que você compre nessa vida você só leva depois de pagar, certo? No caso de traduções você já leva a vantagem de receber antes, que tal me pagar o mais rápido possível ou segundo acordamos previamente? A quantidade de clientes que tenho que deixam passar dias antes de lembrar de me pagar… É uma situação bem incômoda ficar cobrando, facilitem meu lado, por favor.

(Em tempo: dicas para cobrar com elegância. Não escreva um email com “Oi senhor fulano, Algum sinal do pagamento?”, dá uma enroladinha simpática antes: “Oi senhor fulano, deu tudo certo com o arquivo? Estou disponível para qualquer questão. Por sinal, alguma notícia sobre o pagamento?” Cara de pau sim, calote não)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud