Português

Tem certeza que não é juramentada?

Marina Borges / 8 de maio de 2019
Imagem do rawpixel.com

Acho sempre engraçado: você recebe um pedido de tradução. Arquivo anexo. Aí abre o PDF e é aquele documento escaneado que seu editor não vai conseguir converter para Word, cheio de carimbo, brasão, papel timbrado.

Aí você pensa com seus botões: esse cliente quer tradução juramentada e não sabe.

Se alguém um dia te pedir tradução de um contrato, laudo médico, histórico escolar, diploma, termo de compromisso ou qualquer documento com cara de mais ajeitadinho, não hesite em perguntar: “Tem certeza que não é tradução juramentada?”

As pessoas nunca sabem, aí te pedem para traduzir e pronto, aos 48 do segundo tempo descobrem que era juramentada, sim. E ficam chateadas de ter que pagar por duas traduções, né, porque você ainda não virou relógio para trabalhar de graça.

A tradução juramentada tem o nome oficial de tradução pública, daí esses tradutores concursados (e cadastrados nas juntas comerciais de cada estado) serem conhecidos pela sigla TPIC – tradutor público e intérprete comercial. Sim, para passar na prova você também tem que ser intérprete, ou seja, fazer traduções orais.

Quem administra os concursos são as juntas comerciais de cada estado. Os tradutores públicos não são funcionários públicos, não têm cargo, eles simplesmente exercem o ofício de tradução seguindo uma tabela de preços determinada pela respectiva junta. No site de cada uma tem uma lista de tradutores de todos os idiomas, sempre ali pertinho da lista de leiloeiros.

Mas por que eu precisaria de um tradutor juramentado?
Porque esses profissionais são os únicos aptos a lhe fornecer uma tradução com fé pública. Vão lhe entregar o texto impresso em papel timbrado, com carimbos, selos e todo o rococó necessário para que uma universidade, corte, embaixada ou consulado estrangeiro reconheça aquela tradução como verdadeira, autêntica. É um “colocar a mão no fogo” pelo que está contido ali. Não que os tradutores simples não te forneçam um texto fiel, nada disso, mas a tradução juramentada tem o respaldo de uma autoridade. Como disse, é exigida por órgãos públicos em geral e instituições conceituadas.

E os intérpretes, por que precisam ser públicos?
Por um motivo único: a legislação brasileira garante que todos têm direito de entender porque estão sendo julgados ou os termos de um contrato, por exemplo. O intérprete comercial costuma traduzir em situações de casamentos de brasileiros com estrangeiros (não deixa de ser um contrato, né?) ou em julgamentos – o caso mais comum é detenção por tráfico de drogas.

Agora pense na quantidade de idiomas que são necessários nos concursos das juntas comerciais. Por sinal, esses costumam demorar e ter um intervalo espaçado. Tradutor juramentado é um ofício vitalício. Só sai concurso, em média, a cada 20 anos, quando não mais. Vai estudando por aí que quando surgir a oportunidade, vai demorar até aparecer outra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud