Português

Tradução: “Paula Abramo prepara tradução para o espanhol dos contos de Machado de Assis”

Marina Borges / 16 de Abril de 2018

Paula Abramo prepara tradução para o espanhol dos contos de Machado de Assis

A poeta e tradutora mexicana Paula Abramo trabalha na tradução para o espanhol dos contos completos do escritor brasileiro Machado de Assis, uma obra magna que contempla mais de 200 contos.

É a primeira vez que a autora do poemário “Fiat Lux”, que desde 2001 se dedica à tradução de escritores brasileiros, encara a obra de Joaquim Maria Machado de Assis (Rio de Janeiro, 1839-1908), considerado o maior nome da literatura desse país sul-americano.

“São mais de 200 contos, alguns deles muito extensos. Me vem a inquietude porque finalmente traduzi muita literatura brasileira e Machado de Assis é um de seus principais representantes, o mais conhecido, o clássico dos clássicos brasileiro, uma figura super influente em seu próprio tempo e posteriormente”.

Durante uma entrevista à Secretaria de Cultura, Abramo destacou que, apesar de ter realizado traduções de romances do século XIX como “O Ateneu” de Raul Pompeia e “Memórias de um sargento de milícias” de Manuel Antônio de Almeida, de Machado de Assis ainda não havia traduzido nada.

Ressaltou que se trata de um escritor muito traduzido, mas os mais conhecidos são seus romances e recomendou que os leitores se aproximem de obras como “Memórias póstumas de Brás Cubas”, “Dom Casmurro” ou “Memorial de Aires”, que são encontrados facilmente em espanhol.

“Seus contos, no entanto, não foram tão atendidos. Quando o autor ainda estava vivo, foram publicadas sete antologias que ele mesmo escolheu de sua produção de contos. Estas antologias agrupam menos da metade de sua produção total de contos, a outra parte está publicada de maneira dispersa, sem ser separada em volumes”.

E justamente é este grande universo de contos, os que não figuram nas sete antologias que foram bastante traduzidas, que ficaram desatendidos tanto por tradutores como pelos leitores no Brasil e ao redor do mundo.

Paula Abramo detalhou que “ele tem contos interessantíssimos, se lemos de maneira cronológica, podemos ver a evolução do autor ao longo de sua vida que foi muito extensa, pois publicou contos desde muito jovem até o último ano de vida”.

Nesses relatos, ela disse, é possível ver as sementes do que está em outras obras mais conhecidas, como seus romances, bem como esses pequenos germes estilísticos, suas tentativas de experimentar certos recursos e temáticas.

Além disso, “são muito interessantes porque mostram um quadro riquíssimo da sociedade brasileira do século XIX, que é muito particular. É uma sociedade onde há escravidão e um período marcado por um governo monárquico. É um quadro interessante e ainda assim é desconhecido, não circula, não é possível encontrar nas livrarias e é difícil encontrar traduções, porque a grande maioria não está traduzida e eu me dei ao trabalho de explorar este território”.

Muitos desses contos, acrescentou, foram publicados em revistas direcionadas a mulheres, já que desde o século XIX pensava-se que este setor da população tinha direito a uma educação e literatura de qualidade, por isso contrataram o melhor autor do cenário literário desse tempo.

Nessas edições, os contos de Machado de Assis aparecem junto com moldes de crochê e bordado e neles, as mulheres ocupam um papel importante como personagens, junto com os escravos e outros setores desfavorecidos, que é algo que não ocorre nos romances do autor.

Por se tratar de material que está disperso, aparecem alguns problemas como os de atribuição, pois naquele tempo muitos autores assinavam com pseudônimos e não é fácil determinar se um texto é ou não de Machado de Assis.

Por isso, como parte desse projeto que Paula Abramo realiza como membro do Sistema Nacional de Criadores de Arte e que deve concluir no ano de 2020, contempla entrevistas com especialistas e editores brasileiros, para determinar que contos devem ser traduzidos.

Paula Abramo comentou que este projeto de tradução não poderia ser realizado sem o apoio do Sistema Nacional de Criadores, pois se trata de uma iniciativa de longo prazo que requer muita dedicação e por isso está dedicada a ele por completo.

Assim que terminar a tradução desses mais de 200 contos, buscará uma editora para que eles sejam publicados, pois disse que “adoraria que o México fosse o primeiro país no qual circulem em espanhol os contos completos de Machado de Assis”.

Tradução do artigo original em espanhol disponível em

Paula Abramo prepara traducción al español de los cuentos de Machado de Assis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud